sábado, 1 de maio de 2010

Fernando Pessoa/ Álvaro de Campos - Não estou pensando em nada

Não estou pensando em nada
E essa coisa central, que é coisa nenhuma,
É-me agradável como o ar da noite,
Fresco em contraste com o verão quente do dia,
.
Não estou pensando em nada, e que bom!
.
Pensar em nada
É ter a alma própria e inteira.
Pensar em nada
É viver intimamente
O fluxo e o refluxo da vida...
Não estou pensando em nada.
E como se me tivesse encostado mal,
Uma dor nas costas, ou num lado das costas,
Há um amargo de boca na minha alma:
É que, no fim de contas,
Não estou pensando em nada,
Em nada...
.
Poemas/ Álvaro de Campos

7 comentários:

Manuela Araújo disse...

Olá Josefa
Como Pessoa era coerentemente contraditório :)
Um génio. Obrigada por este bocadinho sem pensar em nada :)
Beijinhos

T.Mike (Miguel Gomes Coelho) disse...

Maria Josefa,
É muito bom pensar que não pensamos em nada...
Alivia, quanto mais não seja, momentâneamente.
O grande abraço de sempre.

Maria Josefa Paias disse...

.
Manuela e Miguel,

Obrigada pelos vossos comentários. E como Álvaro de Campos diz neste poema que não pensar em nada é como viver intimamente o fluxo e refluxo da vida, e é também ter a alma limpa e inteira, fico-me por aqui sem pensar em mais nada:)) É que não pensar em nada dá muito trabalho também, como se vê :))

Beijinhos.

partilha de silêncios disse...

É bom, não pensar em nada... ou acreditar que não se pensa.

um beijinho

Manuela Freitas disse...

Álvaro de Campos, neste poema tenta comvencer-se que não está pensando em nada, mas não pensar em nada ainda é mesmo assim pensar, não é?
Como eu gostaria às vezes de desligar o «botão» e não pensar em nada!...
Beijinhos Josefa e obrigada por me ter feito pensar!
Manuela

Eduardo Miguel Pereira disse...

O difícil é não pensar em nada.
Muito difícil mesmo.

Maria Josefa Paias disse...

.
"partilha de silêncios", Manuela Freitas e Eduardo,

Muito obrigada pelos vossos comentários e uma boa semana:))

Beijinhos.