quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

Carlos Paredes - Verdes Anos

12 comentários:

T.Mike (Miguel Gomes Coelho) disse...

Maria Josefa,
Associo sempre a música ao filme. Era muito jovem quando o vi. E que impressão me causou.
Pode-se dizer que foi , nesse momento, que descobri o Carlos Paredes e a exaltação do artista permanece até hoje.
Um abraço.

Rudolfo disse...

Génio português, mais um daqueles de quem Camões disse da lei da morte libertos. Elevou a guitarra portuguesa e os sons do fado ao nível da música erudita de câmara e orquestra.
Prémio maior, para ele e para nós, deixou continuadores, como, só para dar um exemplo, um Pedro Caldeira Cabral que, não tendo que ser musicalmente seus seguidores, tal como ele se entregaram à exploração das sonoridades daquele instrumento. É um vulto da música e da cultura universal que é bom lembrar.

E de repente lembrei-me que sempre gostei de escutar "O Movimento Perpétuo" que há muito não ouço e, pior, não tenho nada dele no novo formato de cd.
Bem, pelo menos temos sempre a possibilidade da companhia destes vídeos do youtube quando estamos em casa a trabalhar no pc -partindo do pressuposto que temos net, é claro, ainda muito longe de ser universal, como é bom de ver. Ora aqui está uma boa lembrança para a ornamentação sonora de um serão desses que, provavelmente, será já hoje.

Sendo assim, muito obrigado e tenha um dia descansado -mesmo que a actividade seja muita e intensa, mesmo assim podemos estar em paz e com saúde, muita.

Rudolfo Wolf

Maria Josefa Paias disse...

Miguel,
Não consigo lembrar-me do filme, mas a música de vez em quando visita-me o pensamento, e como creio que foi na passada 3.ª feira que Carlos Paredes completaria 85 anos se fosse vivo, escolhi esta música para o homenagear apesar do pequeno atraso.
Um abraço.

Maria Josefa Paias disse...

Rudolfo,
Muito obrigada pelas suas palavras, e ainda bem que tem Net para poder explorar outros temas igualmente maravilhosos de Carlos Paredes.
E já que falou em Pedro Caldeira Cabral, publiquei agora uma música também com a guitarra portuguesa, embora goste imenso das outras interpretações dele com outros tipos de instrumentos, designadamente do tempo medieval, objecto da sua pesquisa durante muitos anos.
Um abraço.

Rudolfo disse...

E parece-me ser essa uma das principais vertentes da sua obra musical.

Também me serve de companhia, agora.

Rduolfo Wolf

Paulo Lobato disse...

Maria Josefa,
Só me apetece dizer que a escolha é divina;a música do genial Carlos Paredes faz parte daquele Portugal enorme sem fronteiras.
um abraço

Maria Josefa Paias disse...

Rudolfo,

Quando tiver um pouco mais de tempo procurarei alguns desses trabalhos para publicar, se estiverem bem tratados nestes vídeos.

Obrigada e boa noite.

Maria Josefa Paias disse...

Paulo, muito obrigada por partilhar do gosto da minha escolha de hoje.
Há dias em que me apetece ouvir um génio e este é nosso e de todo o mundo.
Um abraço.

Manuela Freitas disse...

Josefa,
Excelente escolha do virtuoso Carlos Paredes, essa música é de facto intemporal,
desejo que se encontre bem,
Beijo,
Manuela

Maria Josefa Paias disse...

Obrigada, Manuela. É de facto uma maravilha.
Beijinho e bom fim-de-semana.

José Marinho disse...

É curioso... No meu blogue fiz um alinhamento precido com este dedicado à gutarra; só não incluí o Jóia. Tudo de bom.

Maria Josefa Paias disse...

Obrigada, José Marinho, e tudo de bom para si também.
Abraço.