terça-feira, 23 de março de 2010

Fernando Pessoa/ Bernardo Soares - "Que me pesa que ninguém leia o que escrevo?"

Que me pesa que ninguém leia o que escrevo? Escrevo-me para me distrair de viver, e publico-me porque o jogo tem essa regra. Se amanhã se perdessem todos os meus escritos, teria pena, mas, creio bem, não com pena violenta e louca como seria de supor, pois que em tudo isso ia toda a minha vida. Não é certo, pois, que a mãe, morto o filho, meses depois já ri e é a mesma. A grande terra que serve os mortos serviria, menos maternalmente, esses papéis. Tudo não importa e creio bem que houve quem visse a vida sem uma grande paciência para essa criança acordada e com grande desejo do sossego de quando ela, enfim, se tinha ido deitar.
.
de Livro do Desassossego, texto 118, ou p. 129 da 3.ª edição da Assírio & Alvim

11 comentários:

Manuela Freitas disse...

Olá Querida Josefa,
Por ironia do destino, que palavras tão prosaicas!...Por ironia, sem destino, o não lido passou a uma necessidade de leitura permanente para muitos!...
Este postal até poderá ter outro sentido!...
Beijinhos,
Manuela

T.Mike (Miguel Gomes Coelho) disse...

Maria Josefa,
Sendo que Pessoa afirma "Escrevo-me para me distrair de viver,...", o afastamento que prenuncia relativamente à obra própria, embora não lhe seja indiferente pois "teria pena,..." "... pois que em tudo isso ia toda a minha vida." é um dado muito importante. Essa relação que termina com um "Tudo não é importante..." mais espanta ainda quando já no fim dá a entender que a sua própria obra seria um entrave ao seu próprio sossego.
É um texto curto mas rico em sensações que obrigarão, quem gosta, a meditar.
E para quem não o conhecia, como eu, atrai ainda mais.
Um abraço.

Rudolfo disse...

Cá está aquilo que a Josefa me dizia; o Fernando era feliz enquanto escrevia e o que lhe interessava mesmo era pura e simplesmente escrever. Afinal, como ele diz, o melhor de si e da sua vida permanece nas páginas que nos deixou.

Permita que lhe faça uma pergunta que talvez saiba resolver.
No contexto da Casa Fernando Pessoa há a prática da promoção de doutoramentos e teses de mestrado sobre o Autor?
Pode parecer exagero, mas estamos a falar de um património da Humanidade, não estamos?

Um dia cheio de paz e saúde para si

Rudolfo Wolf

Eduardo Miguel Pereira disse...

Vou repetir um comentário que ainda há pouco deixei noutro blogue, também sobre o "Livro do Desassossego" :

Da mesma maneira que na Escola se ensina a ler "Os Lusiadas" ou os "Maias", já ia sendo tempo de ensinar as novas gerações a ler "Livro do Desassossego".
Um povo que aprendesse a ler prosa poética, seria seguramente, um povo melhor preparado intelectualmente e civicamente.

Eduardo Miguel Pereira disse...

Maria Josefa, deixei-lhe um "presente" num comentário no chegateaqui no post do dia Limpar Portugal.

Bons Slides !

Beijinho.

Maria Josefa Paias disse...

.
Manuela, Miguel, Rudolfo e Eduardo,

Muito obrigada pelos vossos excelentes comentários. Tenho pena de não ter um pouco mais de tempo para responder individualmente, como mereciam :(

Rudolfo, como pode ver através do endereço da Casa Fernando Pessoa na barra lateral do meu blogue em "Outras ligações", esta dedica-se quase exclusivamente a eventos relacionados com a obra do escritor e está ligada à Câmara Municipal de Lisboa. Não se tratando, pois, de uma Fundação, não terá meios para promover doutoramentos e teses de Mestrado sobre o Autor, o que, como diz e muito bem, sendo a sua obra um património da Humanidade mereceria mais.

Deixo aqui os contactos, no caso de querer informar-se directamente:

Telef. 213 913 270
E-mail: cfp@cm-lisboa.pt

Sede: Rua Coelho da Rocha, 16
1250-088 Lisboa

Sítio: http://casafernandopessoa.cm-lisboa.pt/

Tudo de bom para todos e bom fim-de-semana:))

Benjamina disse...

Olá Josefa
Do pouco que conheço de Pessoa, dá para entender de facto o que diz o Rudolfo. A sua felicidade estava em fazer obras primas com duas matérias primas: seu pensamento e as palavras.
Obrigada por este bocadinho.

Só não entendo como será possível fazer um filme sobre o Livro do Desassossego! Estou para ver!

Beijinhos

Rudolfo disse...

Boa noite, Josefa

Agradeço a resposta e as referências. Sou mesmo um distraído e ainda não tinha dado conta que tinha essa informação à mão, aqui, neste espaço tão bonito. Envergonho-me por isso e por lhe ter dado trabalho desncessariamente. Paciência, apelo à sua generosidade.

E desejo-lhe um Santo Sábado, cheio de paz e saúde

Rudolfo Wolf

PS

A Senhora faz um trabalho notável e de uma generosidade exemplar; o tempo que obrigatoriamente perde para organizar os conteúdos que nos apresenta é uma prenda que jamais teríamos como pagar, a não ser pelo singelo reconhecimento que possamos exprimir. É mais que suficiente para que nos demos por enriquecidos por passar por aqui, não necessitando de retribuições individualizadas. Estas decorrem da sua gentileza, são um acréscimo que ninguém poderá pedir, tão só aceitar e, claro, por isso se sentir grato.

Renovo os votos de um Santo Sábado

Rudolfo Wolf

Maria Josefa Paias disse...

.
Olá Benjamina,

Obrigada pelo seu comentário.

Sobre o filme já falámos em Novembro neste blogue quando se ia iniciar a rodagem, não sei se se recorda...

Beijinho e bom fim-de-semana.

Maria Josefa Paias disse...

.
Boa noite Rudolfo,

Quando disponho de tempo é com muito prazer que respondo individualmente e é uma forma de ir mais além na análise de alguns textos. E este merecia-o.

Agradeço-lhe muito estas palavras de apreço que aqui me deixou que, por um lado, me incentivam e, por outro, me responsabilizam, se não o quiser desiludir:))

Obrigada e um Santo Sábado para si também.

Benjamina disse...

Olá Josefa
Recordo-me de ter falado nisso num blogue, mas para ser sincera, não me lembrava que tinha sido aqui :)
No entanto, era óbvio que sim, e já vi que foi em Novembro, eu estou é a precisar de mais Mbytes ou Gbytes de memória :)))
Mas continuo na expectativa, embora não muito elevada, porque a tarefa é bem difícil!
Beijinho