terça-feira, 1 de junho de 2010

Bertolt Brecht - "De que serve a bondade?"

1
De que serve a bondade
Quando os bondosos são logo abatidos, ou são abatidos
Aqueles para quem foram bondosos?
.
De que serve a liberdade
Quando os livres têm que viver entre os não-livres?
.
De que serve a razão
Quando só a sem-razão arranja a comida de que cada um precisa?
.
2
Em vez de serdes só bondosos, esforçai-vos
Por criar uma situação que torne possível a bondade, e melhor,
A faça supérflua!
.
Em vez de serdes só livres, esforçai-vos
Por criar uma situação que a todos liberte
E também o amor da liberdade
Faça supérfluo!
.
Em vez de serdes só razoáveis, esforçai-vos
Por criar uma situação que faça da sem-razão dos indivíduos
Um mau negócio!
.
Bertolt Brecht
.
De "Lendas, Parábolas, Crónicas, Sátiras e outros Poemas", tradução de Paulo Quintela

3 comentários:

Maria Josefa Paias disse...

.
Amigo Eduardo,

Fiz asneira com o seu comentário :(

Se não lhe for possível enviá-lo de novo, aqui fica desde já o meu agradecimento e a apresentação de desculpas pela minha desatenção momentânea provocada por uma chamada telefónica.

Um abraço.

Eduardo Miguel Pereira disse...

Ora essa Maria Josefa, não há problema.
Dizia eu que não conheço a obra de Brecht.
Obviamente que o nome e a obra dele são do domínio publico, mas a verdade é que nunca havia lido nada dele.
E o que aqui me deu a ler, gostei bastante.

Maria Josefa Paias disse...

.
Amigo Eduardo,

Muito obrigada pela sua generosidade, simpatia e, por que não, bondade, ao comentar de novo esta minha publicação de Brecht :))

Creio que apenas publiquei um outro texto, deste autor, até agora. Mas tem sido muito adaptado e representado em teatro. Sempre que leio um texto curto e de algum modo adequado a qualquer situação presente, e de que goste especialmente, não deixarei de o publicar.

Um grande abraço.